quarta-feira, 28 de julho de 2010

Querem água?

Não querem água?
Então tomam!
Se encharquem nas águas produzidas pelo meu grito,
meu gemido,
meu prazer
Se encharquem nas águas que refrescam o meu calor,
o meu sabor de veneno impuro e indevido
Se encharquem de tesão,
do gozo o qual fomos feitos e refeitos em atitudes de prazer em obter
Você
Em mergulhos de intrepidez e coragem
Rapidez e voracidade
Em mergulhos de fogo, de terra, de ar
De vento
De vento
De vento que desnorteia o siso
E desdobra o juízo
Tornando sons em palavras água
Palavras vazias
Sem sentido
Sem colorido
Em som vazio
Em sequidão

2 comentários:

  1. Meu amigo esse texto é lindo. Tocou profundamente.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir