sábado, 26 de maio de 2012

Ana Laura Meirelles


Sem dúvida ela roubou o meu coração deste o primeiro instante em que a conheci. Tornou-se amiga, companhia, confidente, leitora especializada de minha mente INsana que se traduz em comportamentos livres, loucos e apaixonados.
Incrível é o dom que só ela tem de ser meiga, doce, atraente e menina...
Não teria eu, o INsano-mor, outra forma mais nobre e original de expressar o meu carinho... o meu amor. 
E eu "estou bem de boa!" (Risos). Feliz todos os dias de vida, minha bela esposa, Ana Laura!



Ela 
É uma menina morena que  me olha nos olhos
E desnuda singelezas que nunca contei
Tipicamente feminina que nos rouba os olhos
Perturba as belezas que calado sonhei
E até mesmo as que ainda não inventaram
Sua graça, de graça, constrange a pureza
E eu fico sem graça
E até mesmo Deus sorri pra si
Isto vejo
Nos raios de sol que escampam de seus olhos cerrados
Em carisma com tons delicadeza
Nem mesmo a lua cheia se detém
E tímida se esconde de seu sabor
Detalhes de beleza em palavras sinceras
Colore pupilas e penumbra emoção
Nos sons de erres que remontam sua terra
Rabisca no peito sorrisos e canção
Um desfile de graça, de sim's e talvez
Atrai os delírios de certos e será's
E encontros consigo eu espero a vez
De em vez todo instante do mundo a roubar
E então a pinto em cor de aquarela
esquadrinhando poesias com nome de Ana



Um comentário:

  1. Ana Laura Meirelles26 de maio de 2012 12:31

    Estou chorando aqui seu chato!
    Que bom saber de tudo isso.
    Obrigada por tudo, pela amizade,
    o amor e todo o carinho de sempre...
    Você é muito especial e o melhor esposo
    do mundo rsrsrs
    Amo você..

    ResponderExcluir