terça-feira, 11 de setembro de 2012

Nesta vida real eu não quero ser teu amigo

Hoje eu amanheci com Cazuza cantando "Eu preciso dizer que te amo" em minha cabeça. Lavamos o rosto juntos. Tomamos o café. E então...


Nesta vida real eu não quero ser o teu amigo

Tantos casos e segredos confidencializados
E não sei como dizer o que nem mais consigo esconder
Tantas coisas em comum e nos distinguimos pela paixão
Preciso fazer uma listinha das pessoas que me querem
Só para não perder tempo enquanto você não se decide
Não por que não sei quem quero,
Mas nelas engano as evidências que gritam você
Ando dando bandeira 
E você levantando bandeira branca
Quer paz
Mas o amor é guerra
E eu já sai rendido, ferido
Mas não são de minhas feridas que quero contar
Posso falar de outras partes do coração
E nem sei se você vem ou não
Você que só olha em meus olhos na companhia dos amigos
E não vê o amor que se materializa 
É real, não é como estes amores de novelas, não
Nesta vida real eu não quero ser teu amigo
E não sei que hora dizer:
Me dá um beijo
Que medo
Até o meu violão sabe cantar o teu nome
Qualquer mania tua eu copio
Até a tua forma engraçada de falar e rir
E fico a falar e repetir o teu nome em todas as rodas
E o tempo pára pra mim
E o teu nome beija-me a boca
E me calo só pra sentir você
Que não veio outra vez

Um comentário:

  1. Parece que estou ouvindo vc recitar essas palavras!!!
    Saudades demais!!!

    ResponderExcluir