quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Bons sonos

Ele chegou aqui em casa
tomou uns dois copos de cervejas
Fumou um cigarro mentolado
Se irritou com o cheiro do eucalipto no banheiro
Pediu que passasse um café, bem forte
forçou a barra
e deu um sorriso
quebrou a barreira
e gargalhou
voltou-se para si
e me deixou com um sorriso pela metade, mal dito
meteu uma pausa entre a falta de dialogo
e pôs três colheradas de açúcar no café
achou doce demais
e jogou fora
desistiu do café voltou para o fermentado gelado
gelou mais uma vez a comunicação solitária
soltou uns bocejos que estavam perdidos
quando pensei que ouviria outras palavras
estranhamente o vi dormi desajeitado, menino, criança
eu o tapei
com tapas em minha face chorei calada
me deitei em minha cama vazia
lotada de sentimentos insônios
esperei por bons sonos

Um comentário: